Sexualidade e Deficiência: Rompendo o Silêncio

Falar de sexualidade constrangia a maioria das pessoas que se ruborizava ao simples mencionar da palavra. Falar de sexualidade das pessoas com deficiência incomodava ainda mais. Ora pensava-se no assunto como uma aberração, ora se negava completamente que estas tivessem desejo sexual.

Você imagina de que época estamos falando?

Não, não faz tanto tempo assim! Isto ocorria até bem recentemente. Na verdade, após um período de liberação sexual, os anos 80 inauguraram um período de maior restrição, principalmente em função da epidemia da Aids.

Foi neste contexto que a Editora Expressão e Arte, em 2001, decidiu lançar uma coletânea denominada “Aprendendo a Sexualidade”, abordando temas variados, desde AIDS até sexo virtual, desenvolvidos por especialistas, com uma linguagem acessível, diante da necessidade de informar corretamente as pessoas sobre temas controversos neste campo. Para tanto, entrou em contato com Penha Lopes que sugeriu que se abordasse a questão da sexualidade e deficiência. Concordando com a sugestão, a Editora, então, solicitou que Penha se comunicasse com Ana Rita de Paula, psicóloga, ativista do movimento de pessoas com deficiência, também interessada no assunto. Por sua vez, Ana Rita chamou Mina Regen, experiente assistente social no trabalho com pessoas com deficiência.

Estava formado o trio que escreveria o livro “Sexualidade e Deficiência: Rompendo o Silêncio”, já em sua segunda edição.

Pelo fato de Penha atuar no campo educacional e estarmos vivendo, na época, a mudança de paradigma na educação, experimentando a convivência de crianças com e sem deficiência nas escolas, dentro do modelo de educação inclusiva, as autoras decidiram redigir o livro voltado aos educadores, tendo consciência das suas dificuldades para ensinar na diversidade e abordar a questão da sexualidade nesta nova sala de aula.

Assim, ficou estabelecido que o livro conteria uma parte final com sugestões de atividades e dinâmicas inclusivas, ou seja, que pudessem ser realizadas por qualquer criança ou adolescente, objetivando favorecer a discussão do tema da sexualidade.

Na primeira parte do livro, as autoras abordam aspectos da história da sexualidade, demonstrando que este tema varia no tempo e em cada cultura, discutindo fatos cotidianos, o desenvolvimento da sexualidade na presença de diferentes tipos de deficiência e tópicos polêmicos como gravidez não planejada, abortamento, a contaminação por DST/Aids, homossexualidade, violência e abuso sexual e preconceito contra pessoas com deficiência.

São tratadas, também, propostas e modelos de trabalho neste campo considerando a deficiência, discorrendo sobre atuação com grupos, linhas de terapia sexual e o papel do terapeuta, a educação sexual e o papel do educador.

Infelizmente, Penha foi hospitalizada no próprio dia do lançamento do livro e faleceu pouco depois.

Dado o sucesso do livro, provavelmente porque interessou não só aos educadores, como ao público em geral, a editora solicitou uma nova edição. Agora, Mina e Ana Rita atualizaram o texto, acrescentando o capítulo “Conversando com a Família” por considerarem este tópico fundamental no desenvolvimento sexual sadio, seguro e prazeroso por parte das pessoas com deficiência.

Foi alterada também a ilustração da capa na segunda edição, em uma homenagem à Frida Kahlo, mulher que teve seu corpo marcado por incapacidades e sua vida marcada pela intensidade das cores e das emoções.

O livro está disponível na Expressão e Arte Editora, em São Paulo, e continua atual.
Texto por: Mina Regen e Ana Rita de Paula